Arquivo da categoria: Política/Políticos

O Horário Político é Ótimo!

Eu adoro o Horário Político Gratuito.

Hoje, pude assistir ao Jornal da TV Bandeirantes.  Durante o Horário Político, sossegadamente,  tomei banho e pude  ver o  Jornal Nacional desde o início.

Tem ou não tem serventia o Horário Político?

Quiser ler três microcontos sobre políticos, em seguida, dessa observação que sempre faço:

Não tenho saudades da Ditadura, entretanto esses políticos…

Isso posto, lá vão:

O   meu, o mais fraquinho – 119 dígitos.

O candidato só teve um voto.  Quem não conhecia, não conhecia.  Quem o conhecia é que não votou nele de maneira alguma.

Fernando Vasqs:

Título: “Latidos”

“A Velhinha vê novela, o cachorro late no quintal. Intervalo, propaganda política. A velhinha grita:
– Cala a boca, cachorro!”

Para concluir:

André Luis Gabriel – Como já foi dito,  vencedor do  Primeiro Concurso de microcontos Salão de Humor de Piracicaba, em 2011.
Título: “ In Memoriam”

“O político morreu, virou estátua. Agora são os pombos a prestar-lhe justas homenagens”.

Superfaturamento na Reforma do Maracanã para Copa de 2014 Era Mais do Que Óbvio, Conforme Escrevi em 2009.

Notícias nessa semana, inclusive no Fantástico de hoje, falam de superfaturamento em obras de reforma do Maracanã para a copa de 2014.

Tão logo foram anunciadas as realizações das Olimpíadas e da Copa do  Mundo no Brasil, eu aqui no Trombone, já garantia aqui no Trombone que isso iria acontecer.

Trecho do que escrevi em 2/10/2009:

“Mas o que quero dizer mesmo é que a realização dos dois maiores espetáculos esportivos do Planeta  em terras brasileiras me fazem lembrar episódio que adapto para os dias de hoje.

Meados da década de 70, político escolhido pelo regime militar para prefeito de S. Paulo estava no Ponto mais alto da cidade, já naquela época um ninho sem fim de problemas, e solta essa batatada:

– Daqui de cima, quanta possibilidade que eu vejo!!!

Se ele, ao menos, tivesse dito, quantos desafios, eu vejo. Mas quanta possibilidade…???

Pois bem, imagino que políticos e, principalmente, empresários nesse exato momento devam estar esfregando as mãos de contentamento e pensando:

– Copa do Mundo e Olimpíadas no Brasil, mas quantas possibilidades de Super-faturamamento!!!”

O Título do Post era – COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS NO BRASIL.  É MUITA FELICIDADE- PARA EMPRESÁRIOS E POLÍTICOS!

Não, não quero jogar confete em mim mesmo.   Mostro apenas que eu conheço políticos e elite do Brasil.  Quiser ler o que escrevi em 2/10/2009, clique aqui.

Quiser assistir à Reportagem do Fantástico,  copie e cole o link abaixo na sua linha de endereço

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2017/03/tce-do-rio-ve-superfaturamento-na-reforma-do-maracana-na-copa-de-2014.html

 

 

 

Dória vai Cuidar só da “Suiça” e botar para escanteio as “Biafras”?

Manchete da Folha de São Paulo de ontem informa que João “Dória deve cortar entrega de leite a estudantes de São Paulo.”

Alguém já disse que São Paulo é composto por uma Suiça e cinco Biafras.    Administrar São Paulo olhando só para a Suiça não deve ser nada difícil.  Aliás, o novo prefeito, segundo a Imprensa, quer tuchar  a Virada Cultural no Autódromo de Interlagos.   Pelo jeito, região dos “Jardins”/Zona Oeste  é mais que Suiça,  é  Cristal; imexível, como diria Rogério Magri.

A esse respeito – “Jardins”/ Zona Oeste = Suiça –  vale a pena assistir ao vídeo do poeta Emerson Alcalde recitando o Poema Senhor da Limpeza.  Quiser ver,  clique aqui.

Gosta do Chico? Não Gosta do Cunha? Então Ouça.

Talvez Chico Buarque não seja mais a unanimidade que foi há trinta anos.  De qualquer forma, é muito querido.  Certamente você gosta dele.  Se gosta dele e não morre de amores pelo Cunha, então vai amar a música – Chico ou Cunha? –  do meu amigo caiubista Márcio Policastro.

Clique aqui.  Duvido que desgoste.  Digo, se você não for a mulher nem membro da família dele, vai gostar e até cantarolar, já que o refrão é fácil e muito excelente.

Folclórico João Doria irá Superar Jânio Quadros? Façam Suas Apostas.

Será que João Dória vai conseguir ser mais folclórico do que foi  Jânio Quadros  na sua última passagem pela Prefeitura de São Paulo?

Parece que sim.  A excentricidade de Jânio Quadros,  de carregar sempre consigo um bloquinho de multas e aplicá-las a munícipes infratores,  não  chega aos pés do que nos promete o  grande marqueteiro João Dória,  considerando-se sua primeira bombástica medida. Ele e o seu secretariado  vestirão uniformes  de garis e, no primeiro dia de governo,  sairão pela  cidade varrendo,  desentupindo bocas-de-lobos e fazendo reparos em jardins e canteiros.  Bem, não sairão pela cidade, ficarão apenas onde houver repórteres, cinegrafistas e  microfones da grande Imprensa, é óbvio.

De acordo com a Folha de Hoje, “na mesa que fica na antessala de seu gabinete, Doria ouvirá os planos da equipe para os primeiros cem dias de governo”.  Quer dizer que ele ainda não sabe  os planos de sua equipe?  Interessante, muito interessante…

Pelo jeito,  os bons tempos de a  população se divertindo com as ações folclóricas do prefeito estão de volta!

Que fique claro, nenhuma crítica a garis, seus uniformes e seu honrado trabalho.  Agora, João Dória de Gari…

Frase minha muito boa, a primeira parte é domínio público:  Política é a arte de engolir sapos, com cara de quem está saboreando lagosta.

A esse respeito, será que os almoços de trabalho de Dória daqui para frente serão feitos em bandejões?

Prefeito Jânio Quadros, o senhor está vendo  aí de cima que não existe pessoa alguma insubstituível?  É verdade que o senhor tinha charme, carisma.  Vamos ver se ele tem algo além do marketing pelo marketing.

Piadinha Velha, Sempre Oportuna, Graças às Palhaçadas Dos Três Poderes

A propósito do nhem  nhem  nhem  judiciário/legislativo,  piada antiquíssima,  que vou  adaptar para os dias de hoje.

Todo o Congresso Nacional,  cúpula do judiciário e o Presidente da República no ar,  inaugurando o Gigantesco Avião KC 390, que, inclusive, pode ser aberto em pleno voo  e  permitir salto de paraquedistas.

O Presidente da República  comunica  que encontrou na rua uma nota de cem Reais e que iria jogar pela Janela e fazer a alegria de um brasileiro.

Depois de promoverem assembleias com seus pares,  as opções encontradas.

O Presidente do Congresso diz que o Presidente da República  deveria trocar em duas notas de cinquenta e fazer  a alegria de dois brasileiros.  A Presidente do Supremo argumenta que  ele deveria jogar dez notas de dez reais e fazer a alegria de dez brasileiros.

Em dúvida, o Presidente  da República  vai  para a cabine e pergunta ao comandante da aeronave o  que deveria fazer.

Ele dá a solução:

– O senhor deveria atirar  todos os senadores, deputados  e  os ministros do Supremo e faria a  alegria de 206 milhões de brasileiros.

O Presidente ia saindo da cabine e o comandante continua:

– E não se esqueça de saltar junto o senhor também.

ITAQUERÃO! EITA PRESENTÃO!

Manchete da Folha de Hoje: “Itaquerão foi presente para Lula, diz Emílio Odebrechet”. Ainda não li, mas lá vai episódio engraçado, em outra ordem de grandeza, naturalmente.

Há alguns anos, no meu aniversário,  uma mesa bem produzida com um  balde de gelo de prata de uns cinquenta centímetros de diâmetro e outros cinquenta de altura, cheio de garrafas de cerveja geladíssimas.  Uma beleza.

Minhas duas irmãs:

– Paulo, mas que balde lindo, quem te deu?

Eu:

– Ora,  um presente desses só duas pessoas poderiam ter me dado: meu pai ou uma amante.  Foi meu pai.

Imagine se um amigo meu deixaria na portaria do meu prédio com um bilhetinho assim:  Paulo, tava no Shopping e me lembrei de você.

Esquisito não é mesmo?

Pois bem,  um Estádio de Presente!!! Acho que seriam necessários mil casais de Bill(s) Gates (s) com Gisele (s) Bundchen (s) para terem tal fôlego.

Mas, como se sabe, no Brasil, sobretudo nesse setor Empreiteiras/Poder Público, tudo é possível.

Êta mundo tão desigual, como diz música do Gil:  um balde de gelo pra mim e um Estádio para o Lula!

Como deixei claro acima, ainda não li nem o que está na primeira página, mas cabe frase de experiente amigo e contemporâneo do meu pai na Faculdade de Direito, Renato Amaral Sampaio Coelho:

– A Iniciativa Privada tem mais de Privada do que de Iniciativa.

Dá pra discordar?