Complexo de Vira-Lata Oficial

Ao lado do Campo do Pacaembu,  há duas placas atrás dos gols, pela Paz no Futebol, a ilustração é de um revólver com  nó no cano.    Emblemas da Prefeitura de S. Paulo,  à esquerda,  e da Federação Paulista de Futebol,   à direita, assinam a campanha.

No centro,  a Inscrição:  Futebol Pela Paz – The Non-Violence Project.

Talvez alguém possa argumentar que imagens da placa vão para o mundo inteiro pela TV.  Ótimo!!! Mas cadê a Inscrição e, mais, o nome de batismo do projeto  em Português???

É caso explícito de Complexo de Vira-Lata, dessa vez  Oficial!!!  Complexo de Vira-Lata é o sentimento de inferioridade do Brasileiro em relação a Estados Unidos e Europa, (tradução/definição  livre minha  do termo de Nélson Rodrigues).

Quer ler mais sobre essa praga que acomete  milhões de Brasileiros de todas as classes, cores e credos???  Clique aqui

2 pensou em “Complexo de Vira-Lata Oficial

  1. Continuamos trabalhando meu amigo.
    Complexo de inferioridade é uma maldade para quem é portador dessa doença maligna.
    Não é e nunca será o nosso caso , certo Paulinho das frases , meu amigo.
    Coitado de quem tem e , mais pobre ainda é brasileiro inferior com Ego ,Super Ego , sem se dar conta que agindo de tal maneira arrogante , torna-se ao longo do tempo , conhecido como ” Nada ” , perante os amigos , mídia e todos.
    Um abraço do Brejeiro do Cajado J , você sabe.

    Ivan

    +++++

    Caro Ivan:

    Legal você ter concordado. Graças a Deus, estamos fora dessa.
    Você leu os outros textos. São fatos inacreditáveis de tão estúpidos. Mais Complexo de Vira-lata – Clique aqui (o mesmo link que está no texto)
    Hojé “é noiss” no Zap!!! Até lá

    Abraços

    Paulo Mayr

  2. Não sei se entendi, mas vou dizer. Uma vêz aqui em Maringá em uma agência do banco do Brasil em época de natal uma arvore e uma placa escrita em inglês ” feliz natal” , detalhe, banco do Brasil…….
    ++++++

    Caro Júnior:

    Pois é, as próprias instituições oficiais sofrem de complexo de Vira-lata. É de Doer.

    Abraços

    Paulo Mayr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *