O Politicamente Correto e Incorreto ao Longo do Tempo

Gosto de quase todo tipo de humor, até de humor negro – hoje, politicamente, incorreto.  Aliás, piada é quase impossível não ser politicamente incorreta.  Não gosto do  humor que eu batizei de excretivo (sobre excreção) e também coisa muito grosseira/primitiva.

Recebi pela Internet frase bem grosseira e abro exceção:

“Sou do tempo que fumar era bonito e dar a b…. era feio.  Hoje, fumar é feio e dar a  b…. é bonito! Sorte nossa sermos velhos.”

Se é verdade, fiz bonito até hoje apenas quanto ao segundo ítem, ou seja, 50%.  Passou-se o tempo, de acordo com o gaiato que inventou a frase, mudaram-se as concepções e eu continuo nos mesmos 50%.

Como a coisa está grosseira hoje, piada idem bem grosseira.  Lá vai:

O gay deu tanto, tanto que acabou tendo que fazer um transplante de…..  Menos de quinze dias depois do transplante, volta ao médico e já estava arrepiando.  O médico:

– Mas você é maluco.  Nem teve alta ainda e já saiu dando feito louco por aí….

O gay:

– Doutor, se o meu que era meu eu dei até acabar, esse aqui, que nem meu é,  eu quero que se exploda!!!

*******************

Explicação que julgo dever aos  leitores do Boca:  Escrevi sem saber se ia aproveitar ou não.   Apesar do mau gosto explícito e intenso tanto na frase quanto na piada, achei que a coisa não ficou tão baixo nível quanto era de se supor.  Julgo ter tratado com o máximo de sutileza que frase e a piada permitiam.  Não sou dos que perdem o amigo, mas não perdem a piada.  Também não gosto de perder a classe para não perder a piada.  Como diz ou dizia a garotada:  Acho que mandei razoavelmente bem!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *