RICHARLYSON – PRECONCEITO ABSURDO

A torcida do São Paulo, antes do começo do jogo de ontem contra o Audax, saudou os jogadores do time gritando o nome de cada um deles – do goleiro ao ponta esquerda. Segundo ouvi na Rádio hoje de manhã, Richarlyson não teve seu nome mencionado porque seria homossexual. No post COMO NASCEU O PORCO, em que falo do apelido do Palmeiras, concluo:

Em tempo, sou corinthiano, mas não tenho nada contra o Palmeiras. Já São Paulo, Santos…são paulinos, santistas….

Fazia certa restrição aos sãopaulinos pó de arroz que conheço. Desse jeito vou ser obrigado a dar mais abrangência ao meu sentimento restritivo…

6 pensou em “RICHARLYSON – PRECONCEITO ABSURDO

  1. Nos do Morumbi Cidadania, grupo de moradores organizados para fazer valer nossa cidadania na região do bairro Morumbi, gostaríamos de contar com seu apóio e colaboração para divulgar os seguintes fatos, dada a sua credibilidade e transparência como jornalísta :

    – durante muitos anos somos diariamente desrespeitados pelo São Paulo Futebol Clube, a entidade ignora totalmente o entorno e diminui a qualidade de vida dos moradores nos dias de jogos e tambem diuturnamente com as atividades socio esportivas.

    – nos organizamos e conseguimos junto ao Ministério Publico do Meio Ambiente a instauração de inquerito para averiguar uma série de denuncias documentalmente comprovadas, como exemplo temos a comprovação da SABESP que o referido clube não tem esgoto conectado na rede, o que é crime ambiental.

    – no próximo dia 27 / 03 o presidente do São Paulo foi intimado para prestar esclarecimentos sobre as denuncias do inquerito em audiencia no Ministerio Publico na 4ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente da Capital, conforme determinação do Promotor de Justiça Dr. José Eduardo Ismael Lutti.

    – estamos a disposição para quaisquer esclarecimentos que o Sr. julque necessário para verificar a veracidade das informações aqui mencionadas.

    – nossa objetivo é combater a impunidade, no futebol e em todos os seus aspectos para fazer valer o respeito pela cidadania em toda a cidade de São Paulo!

    Atenciosamente

    Morumbi Cidadania

    L. D’Alkmin
    S. O. Santoro

    http://morumbi.wordpress.com/

  2. Eu acho que o ser humano tem muito o que aprender ainda não sou homossexual, mas também não tenho nada contra, cada um é o que é….

  3. Paulo:

    Boa noite.

    Pelo que li nos comentários do seu despretensioso texto, você conseguiu a atenção dos moradores do bairro do Morumbi. Valeu para eu saber dos “podres” do clube para o qual pertence o meu Time de Futebol. Valeu!
    Dito isso, sei que você sabe que o Paulo Planet Buarque, distinto advogado e jornalista, torcedor orgulhoso do SPFC, e que já foi presidente do TCM, é o sócio nº 30 do SPFC, e que presidiu por mais de 20 anos o clube campeão mundial. Estou bem acompanhada, pois sim?

    No tocante ao comportamento do comportamento da “nobre” torcida do SPFC, não posso falar por ela, visto que não me foi outorgada procuração ou mesmo autoridade.
    Mas sobre a discriminação que você disse que o jogador em questão sofreu, tenho sim o que dizer.
    O que mais surpreende nos desdobramentos desse caso é a falta de discussão em torno de algo necessário para o pleno reconhecimento dos homossexuais como cidadãos: o argumento de que ser gay ofende a dignidade e a honra do indivíduo.
    A comunidade gay que ficou revoltada contra a decisão do juiz Manoel Maximiano Junqueira Filho, é justa. Isso é ponto pacífico. A questão é outra: o que deve ser discutido é se há crime de injúria quando apontam alguém como sendo homossexual.
    Admitir que a homossexualidade é ofensiva à honra serve tão somente para dar voz aos conservadores e reacionários de plantão (existem um monte de plantão) é perpetuar prática discriminatória com base na orientação sexual, o que é vedado pela Constituição Federal e inadmissível no que se refere à defesa dos direitos humanos.
    Sob a luz do século 21 ainda existam pessoas enrustidas, que apresentam queixas à Justiça contra delatores da sua sexualidade. O gay, ao assumir essa posição, dá mais um passo em direção ao abismo da discriminação. Ao tentar esconder da sociedade o amor entre iguais, o gay ratifica o senso-comum. O que é bonito é pra se mostrar.
    Dizer que fulano ou beltrano é gay não pode ser considerado pejorativo, tampouco um atentado à honradez de outrem. O que acontece é que em pleno século 21, é uma supervalorização do ser sexual e, principalmente, muita homofobia internalizada.
    Li em algum jornal que “acreditar que um adjetivo homossexual se converte em substantivo é uma forma de moralismo pela via errada”. É elevar o sexo a condição de identidade.
    Portanto, meu caro, o que interessa para nós torcedores sérios do SPFC, é bola na rede, dos adversários é claro. Por sinal o SPFC ganhou de virada, e, seguimos em frente na Libertadores. Será mais um título para o futebol brasileiro se orgulhar. O resto é resto em toda extensão do termo jurídico. Bem que o Richarlyson poderia estar jogando o belo futebol dele. O que não vem acontecendo, infelizmente. Por outro lado, estamos novamente na Era do reinado do ADRIANO I. Só felicidade!!!!!!!!!!!!!!!!

  4. é muito triste a burrice original,e por que voce mora ai?azar o teu.quer frequentar,saborear as delícias do capitalismo,idolatrar o consumo,é isso que dá.faça como eu que moro na Ilha Grande-RJ,e nem carro pode entrar

  5. Paulo,
    esse comentário do Luis Felipe Rabelo é o máximo. Ele acertou em cheio. Tem que pagar o preço. hahahahah!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Aurélia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *