Questão de Tempo!

Pela manhã, na alameda Barros, Zona Oeste de São Paulo, carro com vidros nigérrimos e adesivo de cadeirante.

Ora, o sujeito já deve ter dificuldades motoras para dirigir; não satisfeito,  ainda  tucha essa merda desse vidro.

Logo mais vai ser promovido de cadeirante para “caixãotante”,  digo,  virar presunto, ou, pior ainda, vai se estropiar ainda mais.  Questão de Tempo.

A velha história: a natureza limitou a inteligência, mas não limitou a burrice.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *