Parada Gay – Historinha Engraçada

Há somente  dois textos  que repito todos os anos.

Esse a seguir, às vésperas da Parada Gay, e outro, próximo ao dia da Consciência Negra.

Deveria repetir mais alguns; ocorrem-me três: Sobre o Papel do Herói (próximo ao Sete de Setembro), uma coletânea de Epitáfios(absolutamente hilários),  Finados, e sobre Pindura – Prática dos Estudantes de Direito de  Jantarem em Restaurantes em Agosto e não Pagarem a Conta.   Ao final deixo os Links.  Por enquanto, Parada Gay:

Parada Gay, alguns  anos atrás. Desde a primeira, fui a algumas edições. Som legal, muita alegria e, além de tudo, não custa nada prestigiar. Lembro-me quando queriam bater o récorde mundial de público. Além do som, havia a meta a ser cumprida. Fui até mais para fazer número e ajudar no récorde, que acabou mesmo sendo batido.

Pois bem, em uma das vezes, de dentro do carro, perto da Rua Cubatão, onde, segundo meus cálculos, deveria estar a marcha naquele momento, pergunto para um grupo de gays que vinha caminhando se o pessoal ainda permanecia pelas redondezas. Eles me informam que a marcha já devia ter chegado ao ponto final, na República, onde seriam encerrados os festejos.

Pensando em voz alta, lastimo. Um deles consola:

– Não desiste, não. Corre lá, quem sabe cê ainda não arranja um namoradinho!!!

Divertindo-me muito, nos dias seguintes, contei para todo mundo o episódio.

+++++++

Conforme o Prometido,

Papel do Herói, clique aqui

Para se divertir,

Pindura, clique aqui

Epitáfios, clique aqui

10 thoughts on “Parada Gay – Historinha Engraçada

  1. Dois amigos correndo no parque, o da frente caiu de bruços e o outro perguntou doeu?
    O que havia caído respondeu dou eu mesmo já estou deitado.

    1. Caro Clerson:

      Não tem do que se desculpar.
      Ao responder sua brincadeira, eu também tinha apenas a intenção de ser engraçado. Espero que vc não tenha entendido como reação negativa, ou chateada minha.
      Você e o Bataglini continuam sendo os leitores mais assíduos do meu blog.
      Reitero, não tem do que se desculpar. Aliás, achei a brincadeira bem engraçada.

      Abraços

      Paulo Mayr

    1. Caro Junior:

      Pois é. O Problema do Português é que ele leva tudo ao pé da letra. Favor me lembrar para eu me explicar mais esse aspecto do povo português.

      Abraços

      Paulo Mayr

  2. E um Brucutu partidário da cura gay na calçada esbravejava contra a parada: “safados, sem vergonhas, deveriam ir todos para a cadeia… Menos aquele loirinho fofinho vestido de borboleta”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *