Que o Mundo nos Ofereça Notícias Tão Boas Quanto à Beleza da Apresentadora

E a bela Renata Vasconcellos assume, a partir da próxima segunda-feira,  de forma mais permanente, a cadeira na Bancada do Jornal Nacional, ao lado de William Bonner.

Quando ela passou a ser titular do Fantástico e também durante suas passagens pelo Jornal Nacional,  coloquei  no Trombone a Frase de Paulo Mendes Campos que havia como exemplo de conjunção adversativa nos livro de Domingos Paschoal Cegalla.  Ao lado da Frase do meu xará, escrevi a minha frase para a mesma  conjunção adversativa, mencionando Renata.

Lá vai um dos textos que postei aqui, em uma das passagens temporárias da apresentadora pelo Jornal Nacional.

“Viajou sem Passaporte”, exemplo de sujeito oculto usado pelo  gramático Domingos Paschoal Cegalla,  deu nome a um grupo de estudantes da ECA-USP que fazia intervenções artísticas  no centro de S. Paulo, no final da década de 70.

“Os urubus são as aves mais feias do céu mas têm um belo vôo alçado e tranqüilo” era o trecho de uma crônica de Paulo Mendes Campos que o mesmo autor, Paschoal Cegalla,  usava para explicar  conjunção adversativa.

As notícias do mundo no Jornal Nacional são quase sempre de matar, mas a beleza serena   da apresentadora Renata Vasconcellos  ameniza  muito todos os infortúnios. É o exemplo atual que me ocorre para a mesma conjunção adversativa.

Que tenhamos, de fato,  um mundo mais suave, não apenas porque as notícias sobre ele  saem dos belos lábios da bela Renata.

Esse último parágrafo usei em uma das minhas postagens a respeito de estadias provisórias dela  no Jornal Nacional.  Quem sabe agora, com a sua permanência efetiva  no mais importante telejornal do País, o mundo não passe a  oferecer notícias boas/suaves,  diretamente proporcionais  à beleza e serenidade da Renata.

Que Deus me leia!!!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *