Alguns “Amigos” de Facebook São Parecidos com Amante, Barco e Casa na Praia

Frase de Domínio Público –  Amante, barco e casa na praia dão duas alegrias:  quando o sujeito arranja e quando larga.

Como já escrevi,  “fulano de tal quer ser seu amigo no Facebook” denota uma carência que não tem tamanho. Talvez até pudesse ser criada uma nova expressão : conheça o meu Facebook e faça parte da minha turma, ou coisa próxima a isso, MAS QUER SER MEU AMIGO é infantilzinho demais pro meu gosto.

Bem voltando, tornar-se “amigo de facebook”, diferente de amante, barco e casa de praia, evidentemente, não proporciona qualquer Pico de alegria; é o mesmo que caminhar alguns passos (alguns passos, porque caminhar para valer é muito bom), atravessar a rua e outras coisas muito simples.   Entretanto, livrar-se deles traz imensa alegria.  Não ter que apagar  diariamente da sua  caixa cerca de trinta emails comunicando que “uma “amiga” postou tal futilidade,    punhado, um pouco menor,  informando de mensagens edificantes de outra é estar em uma espécie de Paraíso da Informática.  Só hoje aprendi como se faz isso.  Espero que tenha aprendido direito e, principalmente, tenha feito feito direito.  Eu mereço um pouco desse Paraíso.

Quiser ler texto anterior que abordava apenas a Pedido para  Iniciar “Amizade”, clique

1 pensou em “Alguns “Amigos” de Facebook São Parecidos com Amante, Barco e Casa na Praia

  1. Pragmatico,eu. Na vida você encontra tudo o que vê no face. E aqui eu fico na dúvida do que é melhor ou pior. Tem pessoas no face que eu adoraria conhecer pessoalmente . E outras que conheço pessoalmente que gostaria de poder descartar num clique. Rsrs Mas você tá certo, a rede é um festival de pieguice.
    +++++++++++

    Caro Vasqs:

    Vc sabe que considero muito sua opinião. Quanto às pessoas que conheço na vida, e que existem, acho que a imensa maioria é gente do bem. Mas se houvesse um um clique para descartar os “elementos” (aqui, elementos, com o mesmo significado que a polícia dá) do mal o mundo seria ótimo.

    Abraços

    Paulo Mayr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *