Onze Guarda-Chuvas e Saudades do Meu Pai

Imagem curiosa em frente a um prédio  na Rua Ministro Godoi, quase esquina da Itapicuru,  no chuvoso fim de tarde de quinta-feira: onze guarda-chuvas abandonados  abertos e em ótimo estado  junto ao meio fio.

Quando era garoto,  comentei com meu pai que a prancha de pegar jacaré na areia da praia havia sido esquecida.   Meu pai, cético como ele só:

– Paulo, é mais fácil achar uma criança sem dono.

Queria que ele estivesse aqui para explicar onze guarda-chuvas  já abertos em bom estado sem dono.  Bem, se meu pai estivesse aqui,  iria conversar muitas outras coisas com ele, mas não o pouparia desse pedido de explicação.

 

1 pensou em “Onze Guarda-Chuvas e Saudades do Meu Pai

  1. Algum artista plástico teria feito uma instalação, como se diz, para colorir a tarde? Imagino que seria muito bom mesmo conversar com seu pai…Então, agora, imagine as prováveis respostas que ele lhe daria. Pode ser uma saída.
    Beijos
    +++++++

    Maria Inês,

    Não, os guarda-chuvas estavam largados ali, mto curioso mesmo. Imaginar as respostas do meu pai pode mesmo ser uma boa opção.

    Beijos

    Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *