Jorge Benjor – Feliz Aniversário (Repeteco)

Amanhã, aniversário de Jorge Benjor e também seria da minha querida e saudosa irmã Thereza.

Ano passado,  publiquei post a respeito da Fera.  Há alguns textos que, tradicionalmente,  publico aqui todos os anos: episódio divertido da Parada Gay e frase engraçada a respeito do Dia da  Consciência  Negra.   Esse do Jorge Benjor eu gosto muito e publico novamente  pela última vez.    Ao final do texto,  comparação de Satisfaction dos Rolling Stones e W Brasil do Benjor.  Ouçam e votem.

+++++++++++++++

Lá vai o Texto do Jorge Benjor

Hoje é aniversário do fabuloso Jorge Benjor, eu preferia Jorge Ben.

Mas ele mudou. Seja satisfeito o desejo de vossa majestade do Samba Rock!!!

Aliás, outro dia,  Nélson Motta, no  último telejornal da Globo ,  disse que Benjor não gosta muito dessa história de idade.   Salvo engano, em uma entrevista, quando disseram que outro nome famoso da MPB  não gostava  do tema, Gilberto Gil, lascou o ano em que o cara havia nascido.  Rindo muito, Gil perguntou ao Repórter:

– Que outros cantores/compositores  não gostam de revelar idade???

O repórter falava um nome e Gil,  o ano de nacimento.  Eram vários que não gostavam.  Benjor, um deles.

Deve ser fato mesmo, porque na Internet vi pelo menos  dois anos diferentes em que o cantor teria nascido.

Como não privo da intimidade de Benjor, como  Gil e Motta e sempre fui grande fã da Fera, respeito o sigilo.  Súdito é súdito e presta homenagem/vassalagem.  Assim,   passo a contar  histórias, alguns episódios, inclusive uns  dois ou três comigo e dar a minha opinião sobre W BRASIL

Desde os tempos de Jovem Guarda, da Música Por Causa de Você, que ele dizia Por causa de “Voche”,  acho o máximo tudo o que escuto dele.

Em um programa no rádio, outro dia, alguém contou uma história e disse que podia ser lenda ou ser fato.

A história; ou a lenda:

Cacá Diegues  havia pedido que Benjor fizesse a trilha sonora do filme Xica da Silva.  O tempo ia passando e nada de ele apresentar a música.  Cacá ligava, ele adiava.  No último dia, Jorge diz para Cacá.  Manda para mim a sinópse do filme. Jorge foi cantando em cima do que estava escrito na sinópse e saiu a trilha.

Deve ser mesmo verdade.   O saudoso e bom amigo Flávio Rangel fazia uma brincadeira a respeito desse talento do Jorge de encaixar qualquer letra dentro de uma música, mesmo que sobrassem síladas dos versos.  Quando a inflação galopava,  lá por agosto, já tinha atingido o que era previsto para novembro,  com ironia Rangel falava na sua coluna na Folha.

– Chama o Jorge Ben para enfiar  essa infinidade de  dias,  no pedacinho da  taxa de inflação prevista para o ano inteiro.

Jorge é gênio da poesia e da música,

Resultados:

a inflação sempre estourava
em compensação,  as inúmeras ou insuficientes  sílabas cantadas/ acertadas por Jorge cabiam em qualquer verso, qualquer música.

Jorge  é daqueles que incendeiam e  transformam  o Maracanã  inteiro em seu coro.  E pensar que um dos diversos shows dele a que assisti foi no 150 do Macksoud Plaza,  casa que comportava super restrita platéia.  Privilégio indiscritível.

O fato que muito antes de ele estourar novamente com W Brasil,  sempre estava nas apresentações   do Jorge.  Na época do W Brasil, fez show em um lugar que freqüento com muita regularidade.   Eu estava lá à tarde e ele passando o som, com pouca gente ao seu lado.  Passei, parei e o saudei:

– Aí, Jorgíssimo!!!

Anos antes, na festa de aniversário do Sindicato dos Jornalistas, foi ele o convidado para o show.  A platéia ficava em pé ao redor do Palco. Antes do bis final,  no caso do Jorge, generoso  chorinho de mais uns trinta minutos, ele começa a falar para a sua equipe que estava  misturada com o público.

– João, sobe aqui para dançar comigo;  Silvia, vem pro palco dançar também, chama mais uma meia dúzia de amigos,  aí aponta para baixo e diz:

– Você, sobe aqui pra dançar com a gente.

Um cara ao meu lado, pergunta:

– Eu???

O Jorge diz:

– Não!!!

E aponta do dedo firme na minha direção e diz:

– Você, você que está sempre nos meus shows!!!

Uma glória, não é mesmo???

Não é para agradecer  ou retribuir essa fabulosa passagem, afinal,  a realeza está acima dessas besteiras.  Mas, logo que ouvi W/ Brasil,  vieram-me à mente essas  eleições para escolher o melhor isso, o melhor aquilo. Comentei com amigos:

– Se me pedissem para escolher as duas músicas mais espetaculares do mundo, diria: Satisfation e W/Brasil.  Se tivesse que escolher a melhor,  seria W/Brasil,  sem qualquer pestanejar.

Ouça as duas.

Satisfaction – Clique aqui

W/Brasil – Clique aqui

Ouviu/viu???  Concorda comigo???

Há alguns dias,  em programa especial sobre Benjor,  na CBN, diversos músicos cantaram sucessos do nosso suingado aniversariante de amanã.  Quem quiser ouvir, clique aqui . Na tela que vai se abrir, olhar à esquerda e clicar

Minha querida irmã Thereza, cojo já escrevi,  também faria anos amanhã, um ano a mais do que Jorge.  Outro Beijo para ela no Céu!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *