Mulheres Israelenses Trocam Intimidades, Não Importa Onde…

Na oficina de costura,  freguesa, como eu, submete a mim e à costureira  suas trocas  de experiências  com a amiga , pelo celular, naturalmente, sobre o momento certo de tirar a fralda das crianças, com todos os detalhes escatológicos que a coisa implica.  A costureira precisa  falar a respeito do serviço,  e a freguesa faz um gesto impaciente  com a mão, proibindo de ser   interrompida.  E tome detalhes sobre fraldas e correlatos.  Quatro, cinco minutos depois,  depois de infernizar bem a minha paciência e da costureira, decide terminar a conversa.

“Muito Educada”, explica que não podia interromper a conversa com a Prima, já que a ligação era internacional.  A prima estava em Israel.

Formidável, de fato, MUIIITO EDUCADA!!!

Aí, a costureira comenta algo sobre a menina de uns dois  anos,  que estava no carrinho de Bebê da” faladora ao celular”, certamente, a “mijona”,  sobre a qual conheci todo o processo do momento de tirar a fralda.   O cabelo da “menina” (mijona)  ia muito além dos ombros.  A freguesa, que trocava detalhes sobre fraldas e correlatos  com a prima de Israel, esclarece:

– Não, não é menina.  È menino!!!

Bom, muito bom!!!

Parece que israelenses adoram compartilhar esse tipo de intimidades com as pessoas que estão por perto.  Já escrevi sobre isso.  Se quiser ler, clique.

Absolutamente injusto é o fato  de  não me darem  o direito de me manifestar   se eu quero  ou não ouvir esse tipo de conversa!!!

Que mundo é esse???!!!

3 pensou em “Mulheres Israelenses Trocam Intimidades, Não Importa Onde…

  1. Não é o mundo que é assim Paulo, são pessoas assim que infectam o mundo.
    ++++

    Caro Júnior:

    Você tem razão: algumas pessoas, de fato, infectam o mundo.

    Abraços

    Paulo Mayur

  2. A frequesa mal educada, que falava ao celular,deveria ir num canto reservado para falar ao celular.Educação se aprende no berço.
    ++++++++

    Caro Cícero:

    Tudo tão óbvio, mas os búfalos não percebem.

    Abraços

    Paulo Mayr

  3. Muito mal educada a freguesa,que falava ao celular na hora de atendimento.Os outros clientes,não deviam ser importunados com seus poblemas intimos e de familia.Que fosse a um lugar reservado atender ao celular e deixar os outros clientes em paz.Educação se aprende no Berço.
    ++++

    Caro Cícero:
    É isso aí.

    Abraços
    Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *