Inferno Sem Qualquer Limite

Alguns conhecidos de boa conversa em um lugar que costumo frequentar sentam-se sempre à uma mesa praticamente dentro da caixa de som que amplifica o piano e a voz do cantor.  Cantor, aliás, que pensa ser o astro do Scala de Milão.

Trata-se de belíssimo prédio moderno, Tombado pelo Patrimônio Histórico,  em concreto aparente e vidro.  Assim, o inferno do som do  Pavarotti da Zona Oeste paulistana multiplica-se infinitamente.

Há pouco, nessa mesa, além dos  assíduos, estava uma senhora italiana.   Ela não largava o “aifóde” e não dirigia o olhar para nada além da tela; ao mesmo tempo, repetia cantarolando palavra por  palavra o que frustrado Pavarotti gritava.

Menos de um minuto apos ter me sentado, pedi licença e fui-me embora.

Frase minha:  O som ambiente só faz infernizar o ambiente.

No inferno profissional de hoje, com Pavaroti e tudo,  ainda tinha uma Diaba Velha que Digitava e Cantarolava!!!

4 pensou em “Inferno Sem Qualquer Limite

  1. Fiquei imaginando a situação e imaginando sua cara, kkkk, achei engraçado Paulo, claro mas deve ter siso tragico, abraços.
    +++++

    Caro Júnior:

    Como disse, permaneci cerca de um minuto, levantei-me e fui-me embora.
    Aliás, comentei um episódio com uma conhecida minha meio famosa que também não suporta essas grosserias.

    Abraços

    Paulo Mayr

  2. Caro Paulo!!!
    Nos dias de hoje,onde tudo pode acontecer e os que detém o poder mandam e desmandam,passamos momentos de horror e frequentar ambioentes públicos e um Deus me acuda.Se você que é um mestre em controlar e mediar ambientes infernais,não conseguir mudar ou pedir que os Terriveis molestadores de ambientes baixassem o son,imagina se fosse eu ou algum outro fôssemos pedir.Seriamos espulsos a pontapés…Onde estão as normas de ambientes públicos,da nossa cidade de São Paulo????
    ++++

    Cícero:

    O barulho do lugar era infernal. Quanto à mulher, curiosamente é a que tinha menos força no grupo. Os outros do grupo são permanentes; ela, não. Se ainda tivesse o poder da beleza ou juventude, entretanto, era a mais velha de todos os que estavam na mesa.
    A maioria não tem noção de respeito ao próximo.
    Abraços
    Paulo

  3. Certa vêz fui a comemoração de 10 anos de uma empresa de um primo, almoço bom, pessoal legal. Infelizmente uma banda que tocava musica alta, muito alta, insuportavel, não tinha condições de conversar na mesa, almoçei e fui embora daquele inferno. Sabe aquelas pessoas que tem dinheiro, mas só dinheiro……..
    +++++

    Caro Júnior:

    Sinto informar: não é apenas seu primo e os amigos que apreciam esse inferno de música alta. É todo mundo. E eu acho que a razão é simples: as pessoas não têm assunto, não sabem conversar. Assim, quanto mais música melhor, permite que todos escondam suas desinformações…, para não dizer a palavra certa: ignorância.

    Abraços

    Paulo Mayr

  4. Daqui a pouco teremos que andar com aquele protetor de ouvido contra som (não lembro o nome)! kkkkk
    ++++++
    Caro Luiz:

    O nome daquilo – eu sabia, mas fui confirmar – é protetor auricular. E pior é que eu acho que esse dia vai mesmo chegar. Veja que interessante o que escreveu esse articulista na Revista Veja. Se quiser ler, cito esse fato. Clique aqui.
    Em tempo, véspera de eleição, pretendo novamente mandar essa minha carta para os dois candidatos que forem para o segundo turno. Vou dar uma atualizada na carta e ver se ao menos um dos dois me responde.
    Abraços

    Paulo Mayr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *