Errata Tecnológica

Ufa, que alívio!!!

Rejeição já está a léguas de mim.

Escrevi o texto abaixo em que me queixava de que pessoa alguma havia lido meu blog nessas últimas 24 horas e levantei a hipótese de que podia ter sido uma emperrada do contador de visitas.  Terminei o texo e fui olhar de novo.  172 leitores de “excelente bom gosto” haviam visitado meu blog.

Foi até bom.  Rendeu um textinho divertido. Se quiser ler, continue para baixo no blog ou clique aqui

Bom e  foi também um alívio….

Mas, repito, escrevo para mim; leitores são dividendos a mais que recebo por me dedicar com afinco e capricho  à coisa.

4 pensou em “Errata Tecnológica

  1. Caro Mayr, voce suspeitou que taparam os ouvidos para seu “Trombone” e eu tenho certeza que ninguém folheia os meus “Cadernos”.Ainda bem que no seu caso foi apenas um susto,Que me assustou também,como visito sempre,me mataram na contagem?Abraços do Pawlow
    ++++++
    Caro Fernando:

    Ninguém nos mata. Eu e você temos fibra e não desistimos!!! Nós vamos em frente. Sempre!!! Espero que meus fiéis leitores folheiem os seus cadernos. O endereço tá aqui. Conheçam os Cadernos do Fernando Pawlow, cliquem aqui
    Fernando descobriu e me passou a chave de uma mina de infindáveis temas para textos. Quando eu colocar meu trombone trombeteando essa mina de temas, espero que todos gostem. A idéia dele é ótima. Depende só de mim. Espero dar conta do recado.
    É isso aí, caro Fernando. Agora que já escrevi aqui, tenho que continuar a coisa.

    Que enrascada, hein!!!

    Abraços

    Paulo Mayr

  2. A luta continua e o Boca também.Queremos renovar nossos créditos de sempre fazer uma visita neste conceituado blog de mil e uma utilidades.É um prazer estar sempre comentando os artigos inteligentes do nosso dia a dia.O Boca veio para ficar em nossas vidas.
    ++++

    Caro Cícero:

    Já falei para vc que elogio de amigo não vale. Nesse caso foi mais solidariedade que vc quis me prestar porque eu estava rejeitado (risos!!!). Mas agora tá tudo bem. Acho que nem vou olhar o contador de visitas para não colocar meu coração corinthiano à prova.

    Abraços

    Paulo Mayr

  3. Mas cadê a errata?
    ++++

    Caro LM:

    Por errata, quis dizer o seguinte: escrevi comentando que ninguém havia lido meu blog no período de x horas. Tão logo acabei de escrever o texto anterior, olhei o contador de visitas e percebi que houve algum engano na contagem ou que as visitas estavam “represadas”, pois em poucos minutos, foram contabilizadas um monte de visitas (monte, para os meu padrões). Foi esse o sentido de errata.

    É isso.

    Abraços

    Paulo Mayr

  4. Mayr, Mayr… a gente não te abandona, apenas que, as vezes, não queremos aborrece-lo com comentários. Veja bem, William James (psicanalista acho, irmão do escritor Henry James, aquele da “Volta do Parafuso”), dizia que “O mais profundo princípio da natureza humana é a necessidade de ser reconhecido – ou “apreciado”. Vai dai que lembrei de uma piadinha: “A loira teve lá uma crise de pressão alta e foi levada ao hospital, mal, mal, mal, batendo na porta do céu. Entubaram, medicaram, etc e tal. Mas tava tão mal que viu Deus. Ai ela perguntou a Deus – Óh, Senhor, porque me deixou morrer tão jovem? Dai Deus respondeu “Mas voce não morreu, vai levar ainda quarenta e sete anos, oito meses, onze dias, duas horas, trinta minutos e dois segundos pra morrer… fique tranquila, voce ainda tem muito tempo de vida. Bom, assim aconteceu que a loira melhorou. Melhorou muito. E já que táva internada no hospital e já que tinha quarenta e tantos anos pela frente, resolveu fazer umas plásticas, acertou a sombrancelha caida, colocou silicone nos lábios, arrebitou o nariz, calibrou os peitos e a bunda, ficou show. Saiu do hospital toda linda e feliz pra enfrenta quarenta e tantos anos de vida pela frente. Mas… ts.. ts.. ts… foi atravessar a rua para pegar um táxi, veio um ônibus muito louco e passou por cima dela. Matou, morreu. Ai ela foi mesmo ver Deus. Chegou bronqueada…Pô, o senhor ainda na semana passada me disse que eu ainda iria viver quarenta anos…o senhor Deus… mentiu pra mim” E Deus olhou demoradamente pra ela, coçou o couro cabeludo (e bota cabeludo nisso) e diz: “PÔ MENINA, SABE QUE EU NÃO TE RECONHECI !!!” Um abraço Mayr, continue botando a boca no trombone que a gente cantarola daqui…
    ++++++++

    Sidney:

    Primeiro, um outro caso meu. Morei na Inglaterrra na casa de uma família inglesa; fiz texto sobre essa passagem da minha vida. Aliás, texto que teve muiiiitos comentários (para o meu padrão, naturalmente). Gostei da viagem, sem dúvida, mas a coisa era complicada. Deixo o link do texto. Clique aqui
    Em compensação, fui morar em casa de família americana e a experiência foi completamente outra. Às vésperas de eu ir embora, a dona da casa me intimou:
    – Paulo, quando vc voltar para a nova Inglaterra, you must come to visit us. (vc está “intimado” a vir nos visitar).
    Digo o mesmo. Sempre que tiver vontade, caro Sideney, Você está “intimado” a deixar comentários. Digo, seus divertidíssimos comentário!!!!

    Bem se o psicanalista disse que eu sou normal por querer ser reconhecido, quem sou eu para negar….. (Risos)

    Sidney, grande abraço e não deixe de tecer seus perspicazes comentários.

    Paulo Mayr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *