Perder do Palmeiras Não é Nada. Duro é Torcer Para o Luxemburgo!!!

Espero que o Corinthians faça a sua parte e vença o Palmeiras.

Infinitamente mais do que querer fechar a conquista do Campeonato Brasileiro com vitória, o que não quero mesmo é precisar torcer, por poucos minutos que sejam, para  Wanderley Luxemburgo.

Já fiz alguns textos aqui falando sobre o ele.  Deixo o link ao final.

O saudoso José Sebastião, homem simples, era amigo de muitas personalides e gostava muito de mim (a recíproca era verdadeira).  Uma tarde, entusiasmado, ele me diz:

– Daqui a pouco o Wanderley Luxemburgo vai vir tomar um uísque comigo e eu vou apresentá-lo a você.

Exatamente por gostar muito do José Sebastião, fui categórico:

– Por favor,  se eu estiver por aqui na hora em que ele chegar, me ignore.  Eu não tenho o menor prazer em estender-lhe  a mão.

De fato, Wanderley apareceu, eu passei pela mesa em que estavam sentados, olhei para o José Sebastião e apenas sorrimos um para o outro.  Se tiver que  torcer poucos minutos a favor de Luxemburgo será tortura, imagine a minha má vontade se tivesse sido obrigado a trocar algumar palavras com ele.

Você acha que sou temperamental e metido???  Então,  leia mais sobre   Luxemburgo no Boca. Clique aqui

1 pensou em “Perder do Palmeiras Não é Nada. Duro é Torcer Para o Luxemburgo!!!

  1. O Sr.José Sebastião Neto,que por sinal,foi o meu padrinho;pois me colocou para trabalhar no clube,me deixou saudades. Ele se foi,mas ele era um senhor contador de histórias.Fumava seu charuto nos cantos do clube e quando se dirigia para casa,nas proximidades do clube,entrava num bar ou em padaria vizinha à sua casa e lá ia ele tomar seu whisky predileto.
    Eu não sei se eu teria vontade de estar perto do técnico Wanderley Luxemburgo,acredito que também não.
    +++++++

    Caro Cícero:

    Admiro seu bom gosto pela escolha de amigos comuns, como nosso saudoso José Sebastião, e também de eleger pessoas para não se admirar.

    É isso, aí, meu caro. José Sebastião faz falta, muita falata!!!

    Abraços

    Paulo Mayr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *