Dia Mundial sem Carro – Metrô Limitado; Bicicleta, Inviável!!!

Hoje é o dia Mundial sem carro.

Imensíssimo  luxo: ter um carro na garagem e poder dar conta das tarefas do dia-a-dia a  pé e também de metrô.  Sempre digo que o carro me proporciona duas sensações opostas:

• Extrema liberdade/mobilidade.  Se quero ir comer aquela pizza gostosa (o Camelo que não fique com ciúmes) lá no Bom Retiro à noite, ótimo ir guiando, batendo um papo ou, caso esteja sozinho, ouvindo a CBN.

• Extrema prisão/imobilidade.  Durante o dia, quando chego a uns 2 km do lugar onde vou, já quero estacionar logo, me livrar do trambolho, digo carro, e chegar a pé.

Tenho ido com freqüência ao Centro, centrão mesmo, arredores da Praça da Sé.  Não tenho a mais mínima idéia como sair de carro da minha casa, Higienópolis,  e chegar nas redondezas. Vou sempre de Metrô.  Chuva???  Não me faz mudar de idéia.  Mudo de sapatos.  Ponho uma bota de borracha de lavador de garagem, um guarda-chuva e, feliz, vou pisando em tudo quanto é poça d´água, tal qual uma criança.

Vou falar o óbvio:  o problema é que nosso metrô tem uma abrangência muito ínfima.  Se nossos prefeitos/governantes (principalmente aquele senhor caricato de voz metálica),  ao invés das imensas avenidas, tivessem construído metrô,  todos teríamos mais facilidade de nos locomover. E a população- refém do caos –  não desperdiçaria tanto tempo no trânsito, a poluição seria menos impiedosa e até a economia colheria frutos.  Automóvel é ultrapassado.  Metrô é moderno/contemporâneo/adequado .
Mas o que temos??? Imensas avenidas rasgando a cidade e  por onde sequer, salvo engano meu (que não sou especialista no assunto), nem ônibus circulam. Quem não tem carro, que faça como a Angélica, em antiga música, que vá de táxi!!!

Vi numa das inúmeras viagens que o Metrô está selecionando depoimentos de usuários para Ilustrar alguma Campanha. Frasista e falante, fiz uma frase que já enviei, mais ou menos assim:

Se tiver Metrô e você me oferecer um carro de luxo com motorista, eu vou de Metrô.
Outra frase minha para  expressar meu  “amor” e identificação:  “O bilhete múltiplo do metrô, que trago permanentemente comigo, é o meu passaporte de cidadão paulistano”.

O Metrô substituiu o passe do bilhete múltiplo por  um cartão eletrônico, batizado de Bilhete Único que, naturalmente, já está na minha carteira.

BICICLETA – NA PRÁTICA A TEORIA É OUTRA

Acreditar em bicicleta para se locomover no dia a dia nesta cidade, infelizmente, é tão estranho quanto acreditar em Papai Noel e Cegonha.

Mês de fevereiro último em S. Paulo.  Movimento de carros nas ruas, infinitamente menor. Jardim Paulistano, um dos bairros  de ruas menos movimentadas de S. Paulo.  Fui andar de bicicleta com minha namorada, em  tarde de uma quarta-feira.  O risco de ser atropelado, a preocupação de a nomorada ser atropelada, a impossibilidade abolutamente absoluta  de os dois andarem lado a lado para conversar, tornam um mero passeiozinho  pelo Jardim Paulistano muito mais estressante do que se eu tivesse conduzindo uma jamanta.

Bom dia Mundial Sem Carro para todos nós!!! Esperando que daqui a alguns anos, esse desejo não possa ser entendido  como uma imensa ironia. 

Em tempo: hoje – Dia Mundial Sem Carro – (mesmo chovendo) já usei o metrô e, infelizmente, o carro!!!

1 pensou em “Dia Mundial sem Carro – Metrô Limitado; Bicicleta, Inviável!!!

  1. PAULO MAYR!!!
    O dia nacional sem o carro já passou,mas se tem um culpado pelo fracasso deste dia, o qual foi totalmente um desastre e um caos, onde foi um dos dias de maio trânsito na cidade de São Paulo:foi como culpado os nossos governantes de todos os segmentos,pois eles não tiveram a inteligência necessária de fazer e promover “CAMPANHAS EDUCATIVAS”para tal dia fazer mais sucesso.
    Se fosse algo que arrecada-se dinheiro aos cofres públicos tinha certeza que a máquina pública faria campanha educativa.Como sempre diz o grande jornalista da TV bandeirantes “Isto é uma vergonha.Tenho certeza absoluta que no ano que vem, no dia nacional sem carro a mesma cena de fracasso vai se repetir,por descasso da administração pública.
    Esta é minha verdadeira opinião…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *