DEVAGAR COM ANDOR QUE O FREI É DE BARRO

De 03.08.07

Tá bom, os apelidos são Gay Caneca e Frei Boneca; mas transformar banheiros do shopping Frei Caneca em “casulos amorosos” não pode mais mesmo. As rapidinhas costumeiras, de acordo com testemunhas de todos os quatro sexos, estão seriamente ameaçadas. Agora o bicho tá pegando, ou melhor, não pode mais pegar…

É o que se deduz da taxativa advertência no banheiro masculino do cinema Unibanco Arteplex:

– “A prática de ato obsceno em lugar público , ou aberto ou exposto ao público , é passível de pena de Detenção de Três meses a um ano” (Artigo 233 do Código Penal) – Respeitar as leis de seu país é garantir seu direito à Cidadania.

Comentei com uma desconhecia e pedi para ela verificar se havia tal aviso no banheiro feminino. Ela me disse que não.

De qualquer forma, com ou sem aviso, dentro das salas, o namoro está liberado para todos. Tal qual o padre da piada que disse não se opor ao sexo antes do casamento desde que não atrase a cerimônia, também não me oponho a namoros, quaisquer que sejam os namorados, desde que não conversem ou atrapalhem a platéia.

Afinal, hoje o cinema virou local extremamente polivalente onde se conversa com o amigo do lado como se estivesse em sala de visita. Para o papo com o amigo distante, sem qualquer constrangimento, usa-se o celular. O barulho com papel de pipoca e bala é permanente ,como se estivessem todos em alegre parque de diversões.

Querer o mínimo de sossego é a mais atrevida das idiossincrasias. Apesar de que sala de cinema – por incrível que possa parecer – é (ou melhor, já foi) lugar de se assistir cinema em sossego.

Durma-se – ou melhor – assista-se a um filme com um barulho desses.

Namorem, pois, à vontade, mas em silêncio!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *