Frio, Gays e Saudades do Pirandello

De 9.05.07

A propósito do frio de hoje, um caso divertidinho. Há muitos anos, estava assistindo a uma palestra sobre gastronomia. O Palestrante era Gay. Aí eu perguntei:

– Eu tinha uma professora francesa muito fresca que dizia que não se pode tomar sopa no Almoço. O que você acha?

Ele disse que era a maior besteira que já tinha ouvido. O legal mesmo foi o início da Resposta dele. Com a voz e a entonação mais afetadas possível, fuzilou:

– FREEESSCA MEESSSSMO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Aproveito o embalo para mandar ver mais uma, que, digo sempre, foi o emprego mais divertido do QUIÇÁ “qui” já ouvi.

Estava chegando no fabulosíssimo e saudosíssimo bar Pirandello com um amigo, que é saudado em alto e bom som pelo Maschio, dono do bar, gay assumidíssimo, para abusar dos superlativos:

– Fulano, O Homem que eu queria ter na minha cama; quiçá na minha vida!!!!!!!!!!!!!

Saudades do Pirandello!!!!!!!!!!!!!

Termino com uma frase minha: “para a psicanálise, a família é o segundo útero”; e o bar, o terceiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *