Fui Violentamente Excluído da Humanidade

Existe um único momento , a cada dois anos, em que todos os brasileiros são absolutamente iguais  na principal atividade que exercem naquela data.  É o dia da eleição.

Pois bem, ontem aconteceu o mesmo fenômeno, porém em nível mundial.  Todas as pessoas do Planeta, de todos os credos, todas as raças e  de todas  as faixas econômicas tiveram como principal lazer do dia assistir à fabulosa Festa de Encerramento das Olimpíadas.

Eu, entretanto, fui violentamente excluído dos outros seres humanos.  No meu quarteirão (Rua Conselheiro Brotero, zona oeste de São Paulo), como vem acontecendo com irritante frequência,  faltou energia  a partir das 19 horas,  até por volta da  uma da manhã de hoje.

Vão dizer que tenho mania perseguição, já que meus vizinhos também foram  privados.  E, pior, que  sou ranzinza, pois deveria ser grato por não ter faltado energia também na Festa de Abertura.  Só mesmo fazendo ironia barata, para suportar essa afronta!

6 pensou em “Fui Violentamente Excluído da Humanidade

  1. Voce apenas nao assistiu ao circo brasileiro das olimpíadas …. não se entristeca… alegre-se por não participar dessa farsa …pois agora o exército saiu das ruas …o narcotrafico liberou os assaltos …afinal …os turistas já foram embora e venderam drogas adoidado ….os hospital,escolas e serviços públicos continua falidos e em estado precário …o salario continua minimo ….então no maximo vc sentiria apenas s emoção de uma noite de festa. Fica na real ….é melhor !

    1. Prezada Katia

      Você mostra o lado marginal, marginal do Brasil. E eu lastimo porque o lado que não deveria ser marginal, é o pior marginal. Como cantou Chico Buarque, mil anos atrás, “agora é normal o que tem de malandro regular profissional, malandro com aparato de malandro oficial. E, lá pelas tantas, ele diz que esses malandros nunca se dão mal. Certamente vc se lembra da música, caso contrário ouça. clique aqui

      Abraços

      Paulo Mayr

  2. Que azar Mayr, você é um predestinado. Ainda perdeu a ausência do Temer Temor, que deu o cano no premiere japonês. Para mico, pelo menos a Dilma era mais homem. Abraços

    1. Clerson:

      Pensei em começar respondendo que era inacreditável. Dei-me conta de que é mais do que crível, já que a incompetência e o desrespeitos dessas prestadoras de serviço não têm fim. Bando de filhos das put.. e netos também!!!

      Abraços

      Paulo Mayr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *