Nada de ecochatismo, Mas Um Pouco de Bom Senso.

Detesto, literalmente detesto, eco-chatos.  Nada pessoal contra os ecologistas; mas sim, contra os chatos.

Li que a ecológica Marina Silva, então candidata a Presidente da República, teria tomado água em um copo de plástico descartável. Tomou a água e disse, em tom grave e sério,  para sua assessora:

– Guarde esse copo em sua bolsa porque ainda vou usá-lo diversas vezes.

Ora, tenha a paciência. Guardar  copo descartável na bolsa, junto com santinhos ultra manuseados de candidatos a vereador, deputados, prefeitos, passe de metrô, moedas, notas de dinheiro, vales da padaria,  objetos íntimos da assessora, usados ou não,  é muito  hiper excesso de exagero.

Odeio também  aquelas malditas máquinas de secar as mãos.  Odeio e já li na internet que são hiper contaminadas.  Faz sentido que sejam contaminadas.

Tenho uma frase.  Lá vai:

Poder escolher entre a tradicional toalha de papel e o famigerado ar quente para enxugar as mãos deveria ser direito inalienável do cidadão.

Bem, tudo isso para dizer que acho super de bom senso usar  aparas de limão  e dar uma desengordurada inicial em pratos, talheres e louças que serão lavados no dia seguinte ao invés de “tuchar” (enfiar)   detergente.

Falta de assunto e excesso de vontade de escrever???

Não é nada disso, porque tenho um texto quase pronto a respeito de  um tema/episódio (que os sem vocabulário  chamam de evento)  que aconteceu hoje. Certamente vou deixar para postar depois, já que é tarde e a qualidade de tudo começa a cair, principalmente capacidade/qualidade de escrever do responsável por esse blog. Afinal, são 2, 12 da manhã e o sono ataca.

1 pensou em “Nada de ecochatismo, Mas Um Pouco de Bom Senso.

  1. Existem coisas bem mais importantes para se fazer e refletir sobre o meio ambiente, um copinho plástico é um grão de areia ou um nada comparado por inúmeras coisas que grandes fazendeiros e industriais fazem com o meio ambiente.
    +++++++

    Caro Júnior:

    Pois é, parece até piada.

    Abraços

    Paulo Mayr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *