Doação, “Venda” de Órgãos e Ótima Piada

Folha Equilíbrio de hoje e articulista da Folha de S. Paulo tratam da dificuldade de se obter óvulos no Brasil.  O articulista Hélio Schwartsman, na página 2 do jornal,  vai além e fala que a doadora deveria ser paga.  Ele estende esse raciocínio dizendo que famílias que autorizarem retirada de órgãos de parentes mortos  para transplante também deveriam ser remuneradas.

Sou a favor da doação, nunca pensei na hipótese de ser remunerado por órgão de algum parente.  Não só sou pela doação, como  sou doador e, com certa freqüência, lembro aqueles que mais convivem comigo disso, para saberem como proceder na hora certa.  Já fiz um continho a esse respeito, o link para o conto vai no final.

O assunto é sério, mas tem piada ótima.  Lá vai:

A Sara foi vender sangue.  Recebe 100 reais.   Ao seu lado, um sujeito recebe R$ 500.  Ela protesta.  O dono do laboratório explicar:

– Dona Sara, ele  vendeu  sêmen.  Sêmen é mais caro.

No dia seguinte, Sara está lá de volta.

O dono do laboratório pergunta:

– E aí, dona Sara, veio vender Sangue???

Ela, com as bochechas estufadas:

– Hum, hum!!!

++++++++++++

Para compensar a pouca sutileza da piada, conto singelo meu a respeito de “doação” (na verdade “roubo”) de órgãos.  Apesar do tema ser punk, o conto é bem leve, curto e, suponho, de leitura agradável.  Se quiser ler, clique aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *