São Marcos -2- E a Não Alienação dos Torcedores de Futebol

Não sei se muitos ainda enxergam o Futebol como fator de alienação.  A propósito do meu texto ontem sobre as homenagens que palmeirenses – e até não palmeirenses – prestaram ao Goleiro Marcos, Júnior Bataglini, que tem comentado sempre meus textos de uma semana para cá, é dos que pensam que futebol e alienação caminham junto.  Disse ele, certamente referindo-se  à procissão e  ao apelido S. Marcos de Palestra Itália, que ficava assustado “ao ver milhares de pessoas fanáticas, chegando ao extremos de reverenciar um atleta qualquer que ganha milhões”.  Aí, questiona por que essas pessoas não se mobilizam pelos seus direitos.  Irônico, conclui reticente: e assim caminha a humanidade…

Em 1977, quando, depois 23 anos,  o Corinthians se torna campeão,  a mesma polêmica corria solta.  Para ajudar a  compreender a coisa, eu e duas colegas do curso de jornalismo da Faculdade de Jornalismo da USP fizemos uma entrevista para o Caderno de Esportes da Folha de S. Paulo com o sociólogo Sérgio Miceli.  Convém não se esquecer de  que só oito anos depois terminaria o regime militar.

As pesquisas de Miceli  descobriram  que, exatamente entre aqueles (as) que se declaravam torcer para algum time de futebol,  o MDB, partido de oposição, tinha o maior número de eleitores.  Dizia e provava que os que  assumem torcer por um time também assumem com mais naturalidade uma postura política, geralmente de oposição.

São Marcos, você  já parou de jogar  e ainda continua dando pano pra manga.  Não, Manga, não.  Manga já é um outro goleiro….  Aliás, grande goleiro do passado!!!

Intelectuais que queiram saber mais de Sérgio Miceli  cliquem aqui

Quem quiser  conhecer Manga,  clique aqui

Generalistas e curiosos , em geral, cliquem nos dois.

1 pensou em “São Marcos -2- E a Não Alienação dos Torcedores de Futebol

  1. É impossível gostar de futebol e não ser alienado.

    Afinal, o que é o futebol? 22 marmanjos correndo atrás de uma bola. Está certíssima a famosa loura da piada: Por que não dão logo uma bola para cada um e acabam com isso?

    Daí tem o placar, daí tem os pontos, daí tem as rodadas, daí tem o campeonato… E no ano seguinte tem outro campeonato… E no ano seguinte tem outro campeonato…

    E nada de realmente diferente acontece entre uma partida e outra, entre um campeonato e outro. É sempre a mesma lenga-lenga de qual time comprou qual jogador, e qual jogador engravidou qual maria chuteira, e qual treinador deu entrevista tentando não explicar por quê perdeu (perdeu porque não ganhou)…

    E algum jogador é eleito herói nacional e ganha muito dinheiro, até com comercial de bebida alcóolica, e as emissoras ganham muito dinheiro com os direitos de transmissão e todas as cotas de publicidade e…

    O espectador sempre burro, pobre, alienado e sedado, devidamente incapacitado de desgrudar os olhos daquela paisagem verde de “lances” ilusórios e ir cuidar da vida para ele, sim, quem sabe ganhar dinheiro, quem sabe virar herói da própria trajetória individual, quem sabe virar herói da esposa e dos filhos, quem sabe realizar alguma coisa, quem sabe virar manchete de jornal, ou pelo menos, quem sabe, comer alguma mulher interesseira em vez de ficar só vendo jogador de futebol comer.
    ++++++++++++

    LM:

    Curioso o que vc falou, mas nada impede que se faça tudo isso em prol dos filhos e ainda assista aos bons jogos de futebol. Também não fico grudado na ou à tv vendo joguinho sem importância de meio de campeonato.

    Abraços
    Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *