Nas alcovas, todo cuidado é pouco

Maria Luiza, simpática leitora do Boca no Trombone, que ainda não tive o prazer de conhecer pessoalmente, mas cujos comentários estão ficando freqüentes aqui no blog, a partir do que comerciantes fazem à luz do dia com o consumidor, me faz estimulante convite. Diz ela: “vc contou “causos” sobre restaurantes, já imaginou o que vem fazendo nos motéis?; erram na conta, cobram garrafas “extras” de vinho e até brindes, tais como chinelos de papelão, etc”. Conclui ela, ” talvez valesse outro post beeem (sic) hilário”.

Moro sozinho há muitos anos e não preciso freqüentar motéis. Mas, de fato, o número de reclamações que recebem motéis deve ser exatamente o mesmo que as funerárias recebem de clientes insatisfeitos. Assim, não é difícil supor que cobrar garrafas extras, brindes e outros etcs mais seja apenas coisa de trombadinhas do setor.

Mesmo com a falta de experiência recente, ocorre-me idéia, que talvez se possa por em prática, apenas para alertar a portaria de que você não é um idiota qualquer, tampouco inexperiente adúltero que morre de medo de ser apanhado com a boca na botija. Interfone, diga que em meia hora vai-se embora, peça que feche sua conta e diga que nos próximos dez minutos vai ligar de novo para saber não só o valor total da conta, mas item por item o que foi cobrado.

Aliás, será que um mesmo apartamento (suíte Premium, Suíte Extra Gold Premium Plus, ou qualquer outro nome imbecil pretensioso que se dê) pode ser alugado para três ou quatro hóspedes diferentes em uma mesma noite???

Ao interfonar (ah, esses verbinhos metidos!!!) novamente, pegue a caneta e vá anotando todos os valores cobrados, questione o que quiser, feche a conta e diga que vai levar o cheque pronto, ou peça para já providenciar o troco. Afinal, tanto cuidado e no fim do mês aparecer no extrato do cartão R$ 300,00 gastos em espumantes e pernoite no motel (esse m, nos logotipos, muitas vezes “imitam” h) Love, Love não vai ter a mínima graça!!!

Por falar em graça, Maria Luiza tinha me pedido um texto hilário. Até agora, acho que fracassei. Estrategicamente, lanço mão de piadinha velha e um caso divertido que presenciei.

Piadinha Velha –

Se alguém gritar num motel:
– Olha a sua mulher!!!
Metade do Motel sai correndo.
Se alguém gritar:
-Olha o seu marido!!!
Corre a outra metade.

O caso.

Há muitos anos estava na portaria saindo de um motel. A atendente, que tinha dado a chave para o casal que acabara de entrar, comenta rindo comigo e minha namorada:

– Poxa, a menina fez dezoito anos ontem e já está aproveitando!!!!

2 pensou em “Nas alcovas, todo cuidado é pouco

  1. Mayr! (permita-me dirigir-me a esse simpático escriba com tal intimidade) Vc me deixou ruborizada! Esclareço q sou viúva há 8 anos, moro atualmente sozinha e de quando em vez (mto raramente, p/meu desconsolo e tristeza) arrumo um pretentende e, de comum acordo, obtamos pelo território neutro de um gostoso motelzinho p/a “primeira vez” ; vai daí q o povo percebe e… pimba! Agora q já sabemos que: a) eu NÃO sou adúltera e b) vc não é o inocente q quer fazer parecer, podemos voltar à vaca-fria. Realmte, amantes-adúlteros e defuntos não reclaman do tratamto recebido, né? (adorei!, dei risada). Foi bom “conversar” c/vc novamte – fiquei orgulhosa em me ver citada – enviei cópia aos amigos. Um abraço carinhoso e apertado de sua fã. Vou fazer de seu blog minha leitura obrigatória de todos os dias (várias vezes!).

    ML

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *