SÔNAMBULAS E ESPAGUETE ALHO E ÓLEO

De 27.06.07

Todo mundo tem seus quinze minutos de glória, não é o que dizia o Andy Waroll??? Ele teve muito mais do que isso, praticamente uma vida brilhando. Não passo a vida brilhando, mas também não tive apenas quinze minutos de glória, graças a Deus!!! Sem contar que ainda não morri e vou ter inúmeros momentos fabulosos.

Já deu para perceber que gosto muito de duas coisas: frases, gastronomia/comer bem.

Há cerca de quatro meses, outros caiubistas e eu passamos fim de semana agradabilíssimo em um sítio em Joanópolis, terra do Lobisomem. Caiubi é o clube de compositores/escritores/poetas em Pinheiros, S. Paulo, do qual sou sócio. – http://clubecaiubi.com.br .(Em tempo, sexta-feira- 29/12 – depois de amanhã – tem Sopa de Letrinhas, grande Noite tropicalista a partir das 21 hs – vejam no site e apareçam). Voltando ao sítio; no sabadão, churrasco. Tava bom, faltou o Juka do Rossa Nova, dos caras mais talentosos que já vi comandando um churrasqueira, mas o churrasco tava realmente bom.

No domingo, continuou o churrasco. Embora seja contra minha religião comer qualquer outra coisa – além de saladas de folhas, farinha ou farofas – com churrasco, pediram que eu fizesse macarrão Alho e óleo. Eu havia levado os ingredientes, mas tive que usar uma panelinha perdida na cozinha do sítio de menos de quinze centímetros de diâmetro para cozinhar o macarrão para umas oito pessoas. Cozinhei sem quebrar os fios, já que não sou herege. Ficou bem legal. Comentei brincando, a propósito de ter conseguido cozinhar tudo aquilo na minúscula panelinha:

– Fiz o milagre da multiplicação do macarrão!!!!!!!!!!!!!

Pois bem, domingo à noite permanecemos no sítio apenas o Vlado Lima – músico, poeta e escritor talentosíssimo, o rei da irreverência, mentor/apresentador do Sopa de Letrinhas, sua mulher – Selma, Pedro e Lucas, os filhos deles e eu. Lá pelas tantas, Vlado propõe:

– Paulinho, cê não quer fazer outro macarrão igual ao do almoço????

Há mais de vinte anos, um conhecido estava revoltado narrando a última perversidade que uma chefete sapatona havia praticado, aí um colega de trabalho emendou com outra arbitrariedade de outra chefete, também sapatona.
Um deles concluiu:
– Ih, ali são duas sonâmbulas que devem se encontrar todas as noites sonambulando pela cidade!!!!!!!!!!!!!

Fazer frases a partir de frases que já existem, a partir de provérbios, é das coisas que me divertem muito (aliás, como digo, é até meio covardia – é muito fácil).

Automaticamente emendei:

– Não é a noite que é pequena, as sonâmbulas é que são poucas.

Uma boa e, infelizmente, ultra verdadeira frase minha diz – Não é o mundo que é pequeno, os ricos é que são poucos.

Alguém comer duas vezes o mesmo prato que eu fiz no mesmo dia e fazer uma frase nova em cima de outra frase minha foram dois momentos legais meus de frasista e de pseudo chef amador. Xeroquei a receita, dei uma cópia pro Vlado e outra para o Ricardo Soares, cantor compositor do Caiubi que ganhou o primeiro prêmio do Festival de Música da TV Globo de 2000 com Tudo bem, meu bem!!!!!!!!!!. Ricardo também estava no sítio e elogiara muito o macarrão. Encontro-me com ele todas as semanas e ele me diz que freqüentemente repete o espaguete alho e óleo.

Espero que o espaguete alho e óleo feito a partir da receita abaixo agrade tanto você quanto agrada o Ricardo e o Vlado e que minhas duas frases não fiquem devendo muito ao macarrão.

Espaguete Alho e Óleo para duas Pessoas
Revista Gula, Antônio Houaiss e Eu.

Observação Inicial 1– A Receita da Gula manda usar pimenta Peperoncino a gosto. A do Antônio Houaiss fala em pimenta calabresa. Peperoncino encontrei há algum tempo no Santa Luzia. Há três meses, voltei lá e não havia mais. A Pimenta Calabresa, entretanto, dá bem conta do recado e se encontra em todo lugar.

Observação Inicial 2 – Acender o forno, deixar quente. No meio do cozimento da massa, desligar o forno e colocar dois pratos fundos para aquecer. Quando for pegar o prato fundo, cuidado se ele estiver muito quente. Pegar com pano de pratos ou luva própria.

Observação Inicial 3 – Deixe a mesa colocada com o prato raso de refeição e – em cima, um guardanapo pequeno de papel. O prato fundo com a massa fica em cima desse prato. O guardanapo vai impedir que o prato fundo fique dançando. Esse truque pode ser usado sempre.

Como eu digo, Tio Paulinho é cultura, todo tipo de cultura, principalmente “frasísitica e gastronômica” !!!!!!!!!!!!!!!!!

Passando à receita, propriamente dita.
Ingredientes para duas pessoas

– 250 grs de espaguete
– Sete colheres de sopa de azeite (extra-virgem, se possível)
– 12 dentes de alho cortados em lâminas.
– Pimenta Peperoncino ou Pimenta Calabresa (umas quatro pitadas)
– Sal a gosto
– Quatro colheres de sopa de salsinha – Muito bem lavada, muito bem seca e muito bem picadinha.(dividida em 2 porções). –

Queijo parmesão ralado a gosto.

Modo de Preparar

Fazer Primeiro o molho.

Colocar o azeite e o alho em uma pequena frigideira – fogo médio – e dourar o alho.
Quando o alho começar a mudar de cor, coloque uma das porções de salsinha, a pimenta escolhida e duas pitadas de sal. Misture bem, desligue o fogo.

Cozinhar a massa

Colocar cerca de quatro litros de água para ferver em panela grande/compatível. Colocar cinco pitadas de sal na água.
Colocar a massa toda, fazendo que todos os fios afundem – sem sem quebrarem – Cozinhar a massa al dente.
Enquanto isso, dar uma aquecida no molho.
Escorrer a massa.
Voltar a panela grande para o fogo.
Despejar um pouco do molho na panela, colocar o macarrão, despejar o resto do molho.

Retirar os pratos do forno com cuidado. Colocar a massa e para enfeitar salpicar a Salsinha

Parmesão ralado na mesa para cada um se servir conforme a preferência.

Palavras do Ministro Gastrônomo Houaiss: “Em cada prato pessoal, salpicar o parmesão ralado a gosto. Vinho tinto seco é ótimo, mas cerveja geladinha também vai muito bem. E vai bem – sim, senhor(a) – pão branco crocante”.

Alface bem lavada e bem seca mesmo, poucas rodelas finas de cebola.
Tempero: azeite, vinagre e sal. (se for beber vinho, substitua o vinagre por limão)
Fica excelente para se comer junto em um pratinho ao lado ou, mais prático, para se comer depois.

Postado por Paulo Mayr às 3:43 PM 3 comentários

Comentário da Gastrônoma Célia Svevo e Fórmulas mágicas para tomar Vodca

Célia, jornalista, gastrônoma talentosa, minha colega da ECA, tentou colocar elucidativo comentário que só faz reiterar o que Danuza e o outro expert dizem sobre a quantidade de Martini no Dry Martini. Ela me mandou um email com seu comentário e disse não ter conseguido postar. Seria injusto privar o leitor do Boca do texto da Célia. Lá vai:

Não consegui colocar no seu blog. Mas lá vai:

Reza a lenda que a Rainha Mãe (legendária e mais simpática figura da monarquia britânica, mãe de Elizabeth II) procedia da seguinte forma: gelava o copo com gelo e descartava. Na seqüência pingava algumas gotas de vermute e as descartava igualmente, sacudindo a taça vigorosamente em movimento de centrifugação. Para garantir, é claro, que TODO o excesso sumisse de sua vista. Só então juntava o gim. Então sorvia.
Devia ter suas razões. E viveu alegremente, semi-ébria, até os 101 anos.
Valeu, Célia. Obrigado!!!!!!!!!!!!!!!

Vodca

Não sou grande fã de vodca, entretanto, há duas fórmulas mágicas.
Fórmula 1 ( esta fórmula 1 é mto mais estimulante do que ficar vendo carro passar na TV e ouvir jargões do tipo voando baixo)
Ter sempre no congelador uma vodca de ótima qualidade. Ter os copinhos fininhos próprios. Sexta-feira à noite ou sabadão à noite. Banho tomado, barba feita, porta da frente da casa aberta. Pegar no congelador a vodca. Encher o copinho. Colocar
a Vodca de novo no congelador. Tomar a vodca em dois goles. Sair e trancar a porta.Você não vai bater o carro, nem nada, mas vai se sentir o dono da Noite.

Fórmula 2 (essa eu li em uma entrevista do Thomaz (acho que é assim) Souto Correa.
Diz ele algo como: se você tomar ( eu sugiro o mesmo copinho) às vezes uma vodca com duas gotas de Tabasco, talvez vc viva menos, mas vai viver muito mais feliz!!!!

Não sou grande tomador de vodca, mas super endosso ambas as fórmulas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *