Arquivos da categoria: Futebol/Esportes

Superfaturamento na Reforma do Maracanã para Copa de 2014 Era Mais do Que Óbvio, Conforme Escrevi em 2009.

Notícias nessa semana, inclusive no Fantástico de hoje, falam de superfaturamento em obras de reforma do Maracanã para a copa de 2014.

Tão logo foram anunciadas as realizações das Olimpíadas e da Copa do  Mundo no Brasil, eu aqui no Trombone, já garantia aqui no Trombone que isso iria acontecer.

Trecho do que escrevi em 2/10/2009:

“Mas o que quero dizer mesmo é que a realização dos dois maiores espetáculos esportivos do Planeta  em terras brasileiras me fazem lembrar episódio que adapto para os dias de hoje.

Meados da década de 70, político escolhido pelo regime militar para prefeito de S. Paulo estava no Ponto mais alto da cidade, já naquela época um ninho sem fim de problemas, e solta essa batatada:

– Daqui de cima, quanta possibilidade que eu vejo!!!

Se ele, ao menos, tivesse dito, quantos desafios, eu vejo. Mas quanta possibilidade…???

Pois bem, imagino que políticos e, principalmente, empresários nesse exato momento devam estar esfregando as mãos de contentamento e pensando:

– Copa do Mundo e Olimpíadas no Brasil, mas quantas possibilidades de Super-faturamamento!!!”

O Título do Post era – COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS NO BRASIL.  É MUITA FELICIDADE- PARA EMPRESÁRIOS E POLÍTICOS!

Não, não quero jogar confete em mim mesmo.   Mostro apenas que eu conheço políticos e elite do Brasil.  Quiser ler o que escrevi em 2/10/2009, clique aqui.

Quiser assistir à Reportagem do Fantástico,  copie e cole o link abaixo na sua linha de endereço

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2017/03/tce-do-rio-ve-superfaturamento-na-reforma-do-maracana-na-copa-de-2014.html

 

 

 

No Espetacular Salto Com Vara, Ouro para o Atletismo do Brasil, depois de 32 Anos

Eram 32 anos que o Brasil não conquistava uma medalha de ouro em Atletismo masculino, desde Joaquim Cruz,  em 1984 nos 800 mts rasos.   Eram, porque essa noite Thiago Braz, além da medalha de ouro, estabeleceu o novo Recorde Olímpico ao saltar 6,03 ms  com Vara.

Para mim,  Salto com Vara é  o que há de mais espetacular no Atletismo.  Quem sabe agora, essa modalidade venha a   ocupar alguns minutinhos nos programas de Esporte na televisão.

Parabéns pela dupla façanha, Recorde Olímpico e a Medalha de Ouro.  Junta-se agora aos outros três únicos brasileiros a conquistarem ouro olímpico em Atletismo.  São eles:  Adhemar Ferreira da Silva, Salto Triplo (duas medalha de ouro em Olimpíadas), Joaquim Cruz e Maurren Maggi,  salto em distância.

Jogo do Corinthians é Assim …

Comercial excelente  que, salvo engano, vi no Sport TV.

Meio de tarde, carros estacionados, ruas, avenidas e até estrada de ferro desertas,  ninguém pelas calçadas,   um cachorro, ventania, folhas em  redemoinho.

Locutor:

–  Quando o Corinthians joga, a cidade para.  Seja para  torcer, seja  para secar!!!

De fato, a cidade para.  Olhe pela janela e comprove.

Assista ao comercial.   Clique aqui.

 

 

O Inclemente Luis Fabiano

Luis Fabiano fez seu último jogo pelo S. Paulo, inclusive  marcando gol,  nesse fim de semana.

Há alguns anos, vi torcedor com  camiseta do S. Paulo bárbára/ apaixonante.  Atrás, o  número 9 de centroavante e o nome da fera titular:  Luis Fabiano Clemente.

No peito: “Clemente Só No Nome”.

Fabiano, siga sua sina  de ser inclemente com os beques adversários por esse mundo afora.

Quiser ver algumas jogadas do craque, clique aqui

Quiser ler o texto a respeito da Camiseta: “Clemente Só No Nome”,  onde há piada ótima, clique aqui

Pés de Chinelo – Na Bola e Na Cerveja!!!

O slogan da Skol Ultra:  A CERVEJA OFICIAL DOS ATLETAS NÃO OFICIAIS – Chega a ser perfeito.  Desde que lido corretamente.  A saber:  A CERVEJA PÉ DE CHINELO DOS  ATLETAS PÉS DE CHINELO.

Não sou “atleta oficial”, tampouco amador sofrível , mas, pelo menos, sei escolher cerveja. A  ficar em churrasco tomando Skol, prefiro beber água.  Juro mesmo!!!

Sendo justo com a tal da Skol, salvo a Heineken, e mais uma ou duas exceções, as cervejas famosas do Brasil são horrorosas, aguadas a não mais poder.